GERAL, TOCANTINS

Projeto distribui kits de proteção a profissionais que trabalham com limpeza em Palmas

Uma ação da comunidade da Escola Estadual Professora Elizângela Glória Cardoso, de Palmas, proporcionou a distribuição de kits com máscaras e álcool em gel para profissionais coletores de lixo da capital. A campanha ‘Doe máscara e álcool em gel’ foi lançada em 14 de julho e, no último sábado, 1 de agosto, foi feita a entrega na portão da unidade escolar. A campanha faz parte do projeto ‘Cartas de Esperança’. 

Respeitando as normas de segurança e distanciamento, 18 garis foram até a escola representando a classe trabalhadora. Ainda no mês de agosto, será feita a entrega de mais de 300 kits.

A coordenadora administrativa dos garis Emelly Matias destacou que a iniciativa irá contribuir para a segurança dos profissionais no trabalho diário. 

“O pessoal que foi receber os kits gostou muito e eles amam quando a população lembra que eles estão nas ruas muitas vezes correndo risco de vida. A gente sempre visa à segurança e à proteção dos nossos funcionários principalmente por causa da pandemia. Nas ruas, são mais de 300 funcionários e a demanda de álcool, máscaras e luvas está muito alta. Esse incentivo do projeto foi crucial”

Para o diretor da escola, Manoel Alves de Souza, a ação é importante neste período para contribuir com a proteção dos trabalhadores. 

LEIA MAIS

Padrão
GERAL, TOCANTINS

Estratégias para a elaboração de material didático são abordadas em oficina realizada pela Educação do Tocantins

O processo, os desafios e as estratégias para a elaboração de material didático foram trabalhados nos dois dias da oficina técnica realizada pela Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc). A primeira etapa das atividades ocorreu na quinta-feira, 2, e encerra hoje, 9. Nesta quinta-feira, os participantes da oficina apresentam o resultado do seu trabalho.

A proposta da oficina, inicialmente, era direcionada à comissão para elaboração do material didático para o Programa Pátria Amada Mirim (PAM), a quem compete a elaboração, revisão, uniformização e editoração do material voltado ao eixo da Educação Ambiental, conforme diretrizes e regulamentação do programa. A comissão foi instituída por meio de portaria publicada no Diário Oficial do Estado de nº 5.563.

Realizada por meio de ambiente virtual, a formação foi estendida para outros profissionais que atuam na Seduc e trabalham com a elaboração de materiais didático, somando-se quase 50 pessoas. A oficina foi ministrada por Marcos Irondes Coelho, doutorando em educação na Amazônia e mestre em Educação pela Universidade Federal do Tocantins (UFT).

A coordenadora da comissão para elaboração do material didático do PAM, Fabrícia Neli Johann Martins, que é responsável pela Unidade Técnica Executiva de Meio Ambiente e Saúde (Utemas) da Seduc, explicou a proposta das atividades práticas realizadas nesta quinta-feira.

“Foram apresentados os ensaios de produção, por meio de grupos, seguindo um roteiro pré-determinado e as informações compartilhadas no primeiro dia. Hoje ocorre a apresentação do material produzido e a análise do material de outro grupo. É uma vivência do trabalho de elaboração e de avaliação de um trabalho externo”, explicou a coordenadora.

LEIA MAIS

Padrão
GERAL, TOCANTINS

Profissionais da educação participam de formação para retorno das aulas em Tocantins


Na preparação para o retorno das aulas para a 3ª série do ensino médio, a Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc) iniciou nesta segunda-feira, 15, formação continuada para os profissionais da rede estadual de ensino que trabalham com essas turmas. A formação visa repassar as diretrizes para garantir a conclusão do ano letivo de 16.090 matriculados na 3ª série.

Os trabalhos são divididos em dois momentos; nesta segunda-feira, as atividades são direcionadas a 2.563 professores do ensino médio. Já na terça-feira, 16, o público-alvo serão os coordenadores pedagógicos e diretores das 291 unidades escolares que ofertam essa modalidade de ensino, os supervisores e assessores de currículo das 13 Diretorias Regionais de Educação (DRE).

De acordo com a titular da Seduc, Adriana Aguiar, o momento da pandemia do novo coronavírus exige novas estratégias educacionais. “Esta formação é a primeira etapa do nosso processo de retorno das atividades educacionais, não presenciais, a fim de compor a carga horária de ano letivo de 2020 dos estudantes matriculados na 3ª série do ensino médio”, explicou.

A formação está sendo realizada por meio de dez salas on-line com a participação dos técnicos da Seduc, que estão repassando as estratégias propostas pela Pasta. Já o retorno das aulas, inicialmente não presenciais, está previsto para acontecer no dia 29 de junho para a 3ª série, e o cronograma para as demais turmas acontecerá de forma gradual, dependendo do avanço ou redução da Covid-19.

LEIA MAIS

Padrão
GERAL, TOCANTINS

Educação do Tocantins finaliza segunda etapa da entrega de kits de alimentos

Os kits de alimentos, destinados aos estudantes da rede estadual de ensino, pelo Governo do Tocantins, por meio da Secretaria de Estado, da Educação, Juventude e Esportes (Seduc), chegam a todos os municípios da Diretoria Regional da Educação (DRE) de Araguaína nesta terça-feira, 9. As últimas cidades da regional a receberem os kits são Piraquê e Filadélfia.

Paralela à finalização da entrega dos kits na regional de Araguaína, ocorre a entrega dos alimentos nos municípios de Mateiro e São Félix, localizados no território do Jalapão e pertencentes à Regional de Educação de Palmas. As unidades de ensino desses dois municípios atendem a um total de 829 estudantes, incluindo uma unidade de ensino localizada dentro do povoado Mumbuca, que atende a 80 alunos. Os carregamentos com os kits para esses municípios saíram de Palmas nesta segunda-feira, 8. 

“Em maio, somaram-se na primeira etapa 157.659 kits de alimentos entregues em todo o Estado, em pouco mais de um mês e meio. Finalizamos a primeira etapa pelas unidades de ensino da Regional de Dianópolis e agora finalizamos a primeira regional nessa segunda etapa. É um trabalho com várias frentes, para garantir a segurança alimentar dos nossos estudantes”, destacou a titular da Seduc, Adriana Aguiar.

LEIA MAIS

Padrão
GERAL, TOCANTINS

Aula inaugural marca início de pós-graduação direcionada a professores que atuam com educação especial

A Pós-graduação Lato Sensu em Transtorno do Espectro Autista (TEA) no Âmbito das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC), fruto de parceria entre a Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc), a Universidade Federal do Tocantins (UFT) e o Instituto de Pesquisa e Extensão de Desenvolvimento Regional do Centro Norte Brasileiro (Ipex-Regional), iniciou suas atividades na noite desta sexta-feira, 5, com a aula inaugural em ambiente virtual, com a participação de alunos, professores do curso e convidados.

Durante a aula inaugural, a titular da Seduc, Adriana Aguiar, destacou a importância da proposta para a inserção dos estudantes autistas na sociedade. “Hoje, temos 359 estudantes diagnosticados com autismo, atendidos em 108 unidades de ensino da nossa rede. E essa é uma oportunidade para capacitarmos os nossos profissionais. Entendo que a educação é a porta mais importante para a construção da cidadania. Temos cerca de 50 profissionais inscritos no curso, ou seja, profissionais que trabalharão de forma estratégica com os nossos jovens”, destacou. 

O curso em Transtorno do Espectro Autista no Âmbito das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação conta com uma carga horária de 360h e tem como objetivo potencializar a formação de educadores da rede estadual de ensino, baseado no uso de Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDICs). O público-alvo são professores que atuam em qualquer modalidade ou função nas unidades escolares da rede estadual, além dos técnicos da educação especial. Também visa criar condições para que o profissional compreenda as características específicas do TEA e a construção de práticas de inclusão de alunos com autismo em diferentes ambientes.

O coordenador geral do curso TEA-TDIC, George França, destacou o processo de criação do curso. “Esse projeto representa a realização de um sonho para nós e fortalecem as estratégias com a educação especial em nosso Estado e, consequentemente, em todo o Brasil. Esse curso nasceu de um projeto que discutimos amplamente e contamos com diversos parceiros, assim como fizemos contato com professores de outras instituições para compor o nosso grupo de professores para ministrar esse tema tão importante”, frisou. 

A especialização seria realizada exclusivamente na modalidade presencial, mas devido à necessidade de distanciamento social, em função da pandemia do novo coronavírus, o projeto passou por readequação e, neste primeiro momento, as aulas serão realizadas na modalidade de Ensino a Distância (EaD) para três disciplinas, por meio do ambiente virtual de aprendizagem Moodle. Esse ambiente será utilizado para interações, aulas, atividades online, conferências, fóruns e para a disponibilização de textos que serão utilizados pelos professores do curso. O curso é gratuito, com módulos ministrados a cada 15 dias. 

LEIA MAIS

Padrão
GERAL, TOCANTINS

Tocantins apresenta proposta de retomada do ano letivo e avanço no novo modelo de educação durante e pós-Covid 19

O Governo do Tocantins, por meio da Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc), apresentou nesta quinta-feira, 4, proposta de retomada do ano letivo e avanço no novo modelo de educação durante e pós-Covid 19. A proposta foi construída pela Comissão de Estudos e Sistematização de Orientações e Normas, instituída em 29 de abril, com o objetivo de assegurar a reorganização do Calendário Escolar 2020, e passou por amplo processo de discussão com os diversos atores sociais ligados à Educação.

A proposta traz cinco pilares: a segurança dos profissionais da educação e dos estudantes; o respeito à diversidade da comunidade escolar do Estado; a garantia da conclusão do ano letivo para os estudantes da 3ª série do ensino médio dentro do calendário civil de 2020; a garantia da conclusão do ano letivo para todos os estudantes, independente do calendário civil; e a garantia de que o ano letivo de 2021 transcorra independente do cenário de 2020.

A secretária de Estado da Educação, Juventude e Esportes, Adriana Aguiar, destacou como ocorrerá, na prática, a volta às aulas. “Vamos retomar de forma gradual. Começaremos com o ensino não presencial para os alunos da 3ª série do ensino médio. Em seguida, progrediremos com eles para o semipresencial, com revezamento de turmas e, gradativamente, incluiremos os alunos das demais séries nesta modalidade semipresencial, de modo que até setembro, todos os alunos da rede estadual tenham voltado às aulas, no regime de revezamento”, explicou a gestora.

LEIA MAIS

Padrão
GERAL, TOCANTINS

Colégio de Tocantins planeja projeto para retomada da horta

O Colégio Estadual Batista Professora Beatriz Rodrigues da Silva, de Tocantínia, pertencente à Diretoria Regional de Educação de Miracema, planeja a retomada da horta escolar. O trabalho com a horta na escola iniciou-se no ano de 2015, e foi até o ano de 2018, período em que foi ofertado o curso de Técnico Agrícola. O objetivo inicial foi colocar em prática os conteúdos teóricos estudados em sala de aula. O resultado foi tão positivo que rendeu reconhecimento para além do município, com a linha de trabalho direcionada aos produtos orgânicos.

A proposta para este ano começou com uma pareceria entre o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e a escola. O trabalho será desenvolvido, após o período de distanciamernto social, respeitando o tempo de cada planta cultivada, pois o lema da ação é que “não se pode plantar e colher no mesmo dia”, bem como foi enfatizado pelo professor Raimundo Freire, que  apresentou aos envolvidos as vantagens da produção orgânica para a saúde humana e a preservação do meio ambiente.

Antônio Sidney Rosendo, diretor do Colégio Batista Professora Beatriz Rodrigues da Silva, destaca como funciona a horta. “Não faremos uso de nenhum produto químico para o combate de insetos e pragas. Os estudantes podem até produzir em suas próprias casas os produtos naturais. Queremos aproveitar a área que há em nossa escola. É uma área ampla e, neste período da pandemia, estamos com dificuldade para produzir os nossos produtos, mas já firmamos a parceria com o Senar para voltarem às atividades qundo isso tudo passar”, destacou.

LEIA MAIS

Padrão
GERAL, TOCANTINS

Tocantins é o 13º Estado no ranking de desigualdade socioeducacional

Com base em informações do Prova Brasil, do Censo Escolar e do Cadastro de Escolas de 2017, a pesquisa Mapa da Desigualdade Socioeducacional mostra que o Tocantins é o 13º Estado brasileiro no ranking das desigualdades socioeducacional. A pesquisa é da Universidade Federal do Tocantins pelo Observatório de Políticas Territoriais e Educacionais, sob coordenação do professor Doutor Adão Francisco de Oliveira.

Nesta pesquisa foram destacadas quatro dimensões de desigualdade: a socioeconômica, com peso 4 de explicação, que envolve variáveis como a renda familiar; a sociocultural, com peso 3, com informações, por exemplo, sobre oportunidades de leitura, como o acesso a livros ou à internet; a de infraestrutura e recursos escolares, com peso 2, que informa sobre as condições da escola; e a de escolarização, com peso 1, tratando sobre índices de reprovação e distorção idade-série, por exemplo.

Para os resultados com até 0,499 o nível de desigualdade socioeducacional é considerada alto. Das 27 unidades da Federação Brasileira, nenhum tem o nível de desigualdade socioeducacional baixo, 7 têm nível médio e os 20 demais possuem alta desigualdade socioeducacional.

Na décima terceira posição do ranking nacional, o Tocantins figura nesse último conjunto. Porém, os 16 Estados que compõem as regiões Norte e Nordeste estão todos nas últimas posições do ranking, que se inicia com a décima segunda posição, ocupada por Rondônia.

A pesquisa indica que a unidade federativa menos desigual é o Distrito Federal, na Região Centro-Oeste, seguido pelos 3 Estados do Sul: Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, na ordem. Depois os Estados do Centro-Oeste e do Sudeste se mesclam nas posições subsequentes, até chegar na décima segunda posição.

Padrão