ALAGOAS, GERAL

Alagoas já tem mais de 60 mil profissionais da Educação imunizados com a 1ª dose

Alagoas já tem mais de 60 mil profissionais da Educação (Básica e Superior) imunizados com a primeira dose de uma das vacinas contra a Covid-19. Os dados são do site do Ministério da Saúde e são relativos à campanha de vacinação para os educadores iniciada em 10 de maio. Se levado em conta o fato de que um percentual de educadores já haviam sido vacinados previamente por idade, comorbidade e como profissionais de saúde (no caso dos professores da Educação Física com dupla habilitação), esse número é ainda maior.

“Temos 95% dos servidores da Educação Básica de Alagoas já imunizados com pelo menos a primeira dose e isso é um aspecto extremamente positivo, visto que muitos estados do Brasil ainda nem iniciaram a vacinação dos servidores da Educação. Este é um ponto fundamental para começarmos a preparar a rede estadual para a futura retomada das atividades presenciais”, comemora o secretário de Estado da Educação, Rafael Brito.

LEIA MAIS

Padrão
ALAGOAS, GERAL

Educação inicia preparação para retomada às aulas presenciais em Alagoas

A preparação para a retomada das aulas presenciais de forma segura avança em Alagoas. A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) inicia a adaptação aos protocolos sanitários e regras de distanciamento social em todas as 310 escolas da rede pública estadual, que receberão sinalização padronizada nos ambientes de sala de aula, corredor, refeitório e setores administrativos, a fim de garantir a máxima segurança da comunidade escolar no retorno às atividades.

O projeto acontece de forma paralela e como reforço a duas iniciativas de retorno às aulas presenciais com segurança no Estado. Aliada à sinalização, o Governo de Alagoas lidera a ampla vacinação dos profissionais da Educação em todas as regiões e começa a operacionalizar o programa Rumo às Aulas, recém-lançado no último dia 8 de junho, que prevê o repasse financeiro para as unidades de ensino e as Gerências Regionais da Educação (Geres) realizarem melhorias de infraestrutura e aquisição de bens necessários para a volta presencial.

LEIA MAIS

Padrão
ALAGOAS, GERAL

Aulas na rede estadual de Alagoas começam em 10 de março em formato remoto

O ano letivo 2021 vai começar em 10 de março em formato remoto na rede estadual de ensino. O anúncio foi feito em portaria publicada no Diário Oficial do Estado da última sexta-feira (26/02).

De acordo com a Portaria 3019/2021, artigo 2º, fica estabelecido, inicialmente, o modelo organizacional de ensino remoto, podendo, gradativamente, avançar para o ensino híbrido e presencial, caso o cenário da COVID-19 em Alagoas apresente um diagnóstico favorável, baseado nas avaliações das autoridades sanitárias. No ensino remoto, as atividades podem ser realizadas com ou sem a mediação tecnológica, com a entrega de conteúdo impresso para os estudantes sem acesso a internet.

O centenário de Paulo Freire, Patrono da Educação Brasileira (título estabelecido pela Lei 12.612 de abril de 2012), será o tema norteador do ano letivo 2021. As atividades acontecerão por meio de laboratórios de aprendizagem – onde os professores trabalham de forma interdisciplinar, integrando várias disciplinas – e roteiros de estudos – com instruções para o trabalho quinzenal dos estudantes – para as turmas do 1º ano do ensino fundamental até a 2ª série do ensino médio. Já as turmas da 3ª série do ensino médio participarão do Foca no Enem, onde terão apoio para se prepararem para a edição 2021 do exame de acesso ao Ensino Superior.

LEIA MAIS

Padrão
ALAGOAS, GERAL

Alagoas reduz taxas de analfabetismo e aumenta matrículas de estudantes com deficiência e EJA

Alagoas registrou redução nas taxas de analfabetismo e aumento nas matrículas de Educação Infantil, Educação de Jovens e Adultos (EJA), Educação Especial e oferta de Ensino Integral. O estado também aumentou a inclusão de estudantes com deficiência em classes comuns – associado ao Atendimento Educacional Especializado, o AEE. Os dados são, respectivamente, da Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílios (PNAD), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e do Censo Escolar 2019 publicado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

De acordo com dados do PNAD, o estado registrou redução nas taxas de analfabetismo a partir dos 15 anos de idade entre os anos de 2016 e 2019, passando de 19,4% para 17,1% para pessoas a partir de 15 anos; 20,9% para 18,3% para pessoas acima de 18 anos; 24,6% para 21,2% para os maiores de 25 anos; 33% para 28,9% para pessoas acima de 40 anos e de 46,1% para 41% para os maiores de 60 anos.

EJA e Educação Infantil – Concomitantemente à redução das taxas de analfabetismo, o estado também teve aumento das matrículas da EJA, com a retomada dos estudos para um público que estava afastado da sala de aula. Segundo dados do Censo Escolar 2019, o número de matrículas da EJA cresceu 7,2% de 2015 a 2019, saindo de 113.228 em 2015 para 121.408 matrículas no ano passado. No que concerne à distribuição das matrículas, as redes municipais concentram 91,4% das matrículas do EJA Fundamental, seguido por 7,8% da rede estadual, enquanto, na etapa de nível médio, a rede estadual reúne 97,5% das matrículas seguidas por 1,4% da rede federal.

LEIA MAIS

Padrão
ALAGOAS, GERAL

Escolas de Alagoas se mobilizam para levar atividades para alunos da zona rural

A pandemia do coronavírus fez escolas adotarem a tecnologia para dar continuidade à missão de levar educação a estudantes em todo o país. No entanto, para muitos, o acesso a uma internet de qualidade ainda não é uma realidade. E, para que essas crianças e jovens não fiquem de fora do processo de ensino-aprendizagem, muitos gestores tem buscado alternativas para alcançá-los, fortalecendo ainda mais seus laços com a comunidade.

Zona rural – Um exemplo é a Escola Estadual Padre Téofanes, de São José da Laje. Seu gestor, Erivaldo Valério da Silva, mobilizou professores, pais e alunos para não interromper os estudos de cerca de 70 alunos que vivem em povoados rurais. De carro, ele percorre quatro sítios: Boa Vista, há 7,9Km do município, Campo Novo, com 13,8Km, Transval, 7,2Km e Valparaízo 9,6Km.

De acordo com o gestor, o primeiro contato foi para levar os kits de alimentos disponibilizados pelo Governo de Alagoas, por meio da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), onde toda a comunidade escolar foi mobilizada. Agora, a missão continua: quinzenalmente ele visita os sítios, desta vez para levar e recolher as atividades impressas aos alunos. 

LEIA MAIS

Padrão
ALAGOAS, GERAL

Retorno das aulas presenciais será a última etapa da retomada das atividades em Alagoas

A retomada das aulas presenciais nas redes pública e privada de ensino de Alagoas só acontecerá na última etapa do Plano de Distanciamento Social Controlado – documento construído pelo Governo de Alagoas que estabelece as fases para o retorno às atividades após o isolamento social provocado pela pandemia da Covid-19. De acordo com o plano, divulgado em edição suplementar do Diário Oficial do Estado (DOE) desta segunda-feira (22), a reabertura dos estabelecimentos educacionais só ocorrerá na Fase Verde – quando todas as demais já tiverem sido cumpridas – e não tem data definida.

O documento, que pode ser conferido na íntegra aqui, diz no artigo 6º que “ficam suspensas todas as aulas presenciais nas escolas, universidades e faculdades das Redes de Ensino Pública e Privada no Estado de Alagoas, sem prejuízo do cumprimento do calendário letivo, observando-se o Decreto Estadual nº 69.527, de 2020, apenas retornando as aulas presenciais quando o Estado de Alagoas estiver na Fase Verde”.

LEIA MAIS

Padrão
ALAGOAS, GERAL

Rede estadual de Alagoas garante atendimento educacional a estudantes com deficiência

O avanço do coronavírus fez com que as redes educacionais de todo o mundo se adaptassem a uma nova realidade, onde teriam que desenvolver suas atividades à distância. Um dos grandes desafios desta nova realidade seria justamente a Educação Especial, onde o estudante com deficiência demanda um Atendimento Educacional Especializado (AEE) com profissionais capacitados na área. Após três meses de isolamento social, os centros de AEE da rede estadual e as escolas com salas de recursos – ambientes onde estudantes com deficiência são atendidos com recursos didáticos que facilitam sua aprendizagem – contam como está sendo essa experiência. E as famílias dos estudantes são parceiras neste processo. 

Cyro Accioly – No centro especializado no atendimento a pessoas cegas, total ou parcialmente, as atividades acontecem de segunda a sexta-feira: Artes, AEE, Enem e Encceja. 

“Inicialmente, ficamos preocupados pelo diferencial da nossa clientela, pois são crianças e adolescentes e o nosso AEE é com muita prática. Decidimos passar os conteúdos das aulas para as mães por meio de um grupo de Whatsapp e estas passarem para seus filhos e deu certo. Os professores de informática também trabalham por meio de áudios e, para os alunos que farão os exames do Encceja e do Enem, são realizadas videochamadas em grupos e os estudantes dão o retorno”, informa a diretora Jedalva Santos.

LEIA MAIS

Padrão
ALAGOAS, GERAL

Educação de Alagoas promove mais de 1.100 formações com professores durante isolamento social

Num período em que se faz necessário o isolamento social para preservar vidas, a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) adequou seu planejamento para uma nova realidade. Com a implantação do Regime Especial de Atividades Escolares Não Presenciais (REAENP), foram adotadas diversas estratégias para o desenvolvimento das atividades escolares, seja por meio de ferramentas virtuais ou com a entrega de material impresso para estudantes sem acesso à internet. O mesmo aconteceu com o cronograma de formação de professores da rede estadual, que agora acontece de forma remota e já realizou 1.110 formações durante o isolamento social.

Desde o dia 23 de março, quando as atividades presenciais foram suspensas, a Seduc reorganizou seu cronograma de formações à necessidade de adaptação para o teletrabalho com o uso de ferramentas digitais. Os encontros formativos remotos tiveram a participação de cerca de 26 mil professores, articuladores de ensino, coordenadores pedagógicos, gestores escolares e técnicos pedagógicos.

Antes da pandemia do novo coronavírus, as formações aconteciam no formato presencial, no Centro de Formação Ib Gatto (Cenfor), no Cepa, nas Gerências Regionais de Educação (Geres) e nas escolas estaduais. Nesses três meses de isolamento social, as novas estratégias remotas da Seduc têm registrado participação efetiva dos profissionais, sobretudo nos eventos realizados pelas escolas estaduais e Gerências Regionais de Educação (Geres).

Vale ressaltar, ainda, que neste período nenhum professor contratado (monitor) foi dispensado.

LEIA MAIS

Padrão
ALAGOAS, GERAL

Web conferência destaca importância de planejamento conjunto para voltas às aulas em Alagoas

A reorganização do calendário escolar em Alagoas após a pandemia foi tema de uma Web conferência organizada pela União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação de Alagoas (Undime-AL). Participaram da discussão o presidente da Undime-AL, Rubens Araújo, a secretária de Estado da Educação de Alagoas, Laura Souza; a vice coordenadora nacional da União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação (UNCME) e coordenadora da UNCME-AL, Marly Vidinha. O deputado estadual e presidente da Comissão de Educação da ALE, Marcelo Beltrão. O presidente do Conselho Estadual de Educação de Alagoas, Mário César Jucá e a presidente da Undime-CE, Luiza Aurélia. A web conferência foi mediada pelo professor Neilton Nunes, técnico na Undime-AL.

Durante a web conferência – que pode ser acessada em: https://youtu.be/PKnvWCWSmog  – destacou-se a importância do diálogo, união, e planejamento na decisão da volta às aulas da rede pública. Entre os assuntos, as orientações dadas pelas instituições sanitárias que devem ser observadas durante o planejamento do retorno das aulas, a reorganização do calendário escolar e da carga horária das disciplinas e os métodos que serão tomados para garantir a segurança dentro e no trajeto até o ambiente escolar.

LEIA MAIS

Padrão
ALAGOAS, AMAZONAS, GERAL

Professora do Amazonas conta experiência de aulas mediadas por tecnologia

A professora mestre em Ciências da Educação Darlinda Monteiro, que integra o corpo docente do Centro de Mídias de Educação do Amazonas (Cemeam), contou sobre sua experiência de aulas mediadas por tecnologia em uma live com a professora doutora Monique Angelo, do Grupo de Pesquisa em Ensino e Extensão em Química da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), nesta quarta-feira (03/05). A amazonense falou sobre os desafios de levar o ensino a áreas remotas do estado e como a expertise do Cemeam foi importante neste período de pandemia. 

Darlinda, que leciona Química, contou que hoje revê as aulas e pensa em pontos a serem melhorados, em linguagens e exemplos diferentes, mas isso veio com o passar dos anos, quando ganhou mais confiança em aparecer diante das câmeras. Ela se disse orgulhosa de participar de um programa que dá oportunidades para as pessoas estudarem e concluírem o ensino médio.

“Quando recebi o convite, nós atendíamos alunos do ensino médio em 340 comunidades. Agora, são 43 mil alunos do ensino fundamental, médio e de Jovens e Adultos (EJA). A gente chega a lugares muito distantes do Amazonas, locais que, antes do ensino mediado, os alunos precisavam sair de casa duas horas antes da aula, pegar barcos e outros meios de transporte e agora, eles podem estudar perto de casa, com professores preparados para ensiná-los”, reflete a profissional.

LEIA MAIS

Padrão