AMAZONAS, GERAL

Comunidades ribeirinhas de Manaus recebem kits do ‘Merenda em Casa’

Passava das 15h quando o barco alugado pela Secretaria de Estado de Educação e Desporto fez sua primeira parada na comunidade Igarapé da Floresta, na quinta-feira (04/06), no bairro Puraquequara, zona rural de Manaus, para deixar o kit do “Merenda em Casa” ao estudante Pablo Ribeiro, de 11 anos. Ao ver o barco se aproximando, o menino deu mais de um salto no rio e, em seguida, foi chamar a mãe, Cláudia Bandeira, para receber os insumos.

 “Não falta nada aqui em casa, mas é muito legal receber esse kit. É uma ajuda muito boa”, afirmou o garoto, enquanto conferia o que continha no kit.

 Pablo é um dos 70 alunos da Escola de Estadual de Tempo Integral (Eeti) Irmã Gabrielle Cogels que receberam o benefício do “Merenda em Casa” por embarcação. Ele e os colegas estão espalhados nas comunidades Santa Luzia, Boa Vista, Jatuarana, Menino Jesus e Igarapé da Floresta. No total, a escola, que recentemente completou dez anos, tem 500 alunos matriculados e com direito ao kit.

A 15 minutos da primeira parada, a equipe da Secretaria de Educação chegou à casa de Gustavo Henrique, também de 11 anos. Lá, ele e outros nove vizinhos alunos da rede pública aguardavam a entrega do benefício. “Gosto de comer feijão, arroz, macarrão e carne. Achei esse kit muito legal, minha mãe que cozinha e ela economiza bem. Acho que isso aqui dá alimentar nossa família por uma semana inteira”, avaliou o menino.

LEIA MAIS

Padrão
AMAZONAS, GERAL

Professor lança livro sobre a Amazônia

Uma expedição alemã pela Amazônia no século 19 foi a inspiração do historiador e professor da Secretaria de Estado de Educação e Desporto, Marcos Paulo Araújo, para o livro “A epopeia do Xingu”, lançado pela editora Dialética. “É uma análise sobre como os alemães e um brasileiro relataram uma viagem que durou cerca de seis meses”, adianta.

Araújo, que é carioca de origem e mora em Manaus desde 2012, diz que sempre gostou de estudar a região amazônica e, ao ingressar no mestrado de História Social, na Universidade Federal do Amazonas (Ufam), apresentou a ideia de analisar uma expedição realizada por três alemães, liderados por um médico e com a ajuda de um militar brasileiro. Atualmente, ele é professor de História na Escola Estadual Brigadeiro João Camarão Telles Ribeiro.

O educador conta que a intenção foi fazer uma releitura das visões antagônicas do líder da expedição, o médico Karl von den Steinen, e do militar que o acompanhou, Francisco de Paula Castro. O médico publicou, na Alemanha, um livro sobre a viagem, no qual contou a experiência e falou sobre suas impressões. A obra já era conhecida, a novidade, no entanto, veio quando Araújo descobriu que o militar brasileiro também escrevera sobre a expedição. Foi desses dois trabalhos que o professor teve a ideia para a sua dissertação, resultando no livro.

LEIA MAIS

Padrão
ALAGOAS, AMAZONAS, GERAL

Professora do Amazonas conta experiência de aulas mediadas por tecnologia

A professora mestre em Ciências da Educação Darlinda Monteiro, que integra o corpo docente do Centro de Mídias de Educação do Amazonas (Cemeam), contou sobre sua experiência de aulas mediadas por tecnologia em uma live com a professora doutora Monique Angelo, do Grupo de Pesquisa em Ensino e Extensão em Química da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), nesta quarta-feira (03/05). A amazonense falou sobre os desafios de levar o ensino a áreas remotas do estado e como a expertise do Cemeam foi importante neste período de pandemia. 

Darlinda, que leciona Química, contou que hoje revê as aulas e pensa em pontos a serem melhorados, em linguagens e exemplos diferentes, mas isso veio com o passar dos anos, quando ganhou mais confiança em aparecer diante das câmeras. Ela se disse orgulhosa de participar de um programa que dá oportunidades para as pessoas estudarem e concluírem o ensino médio.

“Quando recebi o convite, nós atendíamos alunos do ensino médio em 340 comunidades. Agora, são 43 mil alunos do ensino fundamental, médio e de Jovens e Adultos (EJA). A gente chega a lugares muito distantes do Amazonas, locais que, antes do ensino mediado, os alunos precisavam sair de casa duas horas antes da aula, pegar barcos e outros meios de transporte e agora, eles podem estudar perto de casa, com professores preparados para ensiná-los”, reflete a profissional.

LEIA MAIS

Padrão
AMAZONAS, GERAL

Estudantes e gestor da rede estadual do Amazonas terão textos publicados em antologia carioca

Estudantes e gestor da rede estadual do AM terão textos publicados em antologia carioca

A inspiração está nas pequenas coisas da vida. Prova disso é que, observando os pássaros sobrevoarem o pátio do Colégio Amazonense Dom Pedro II, a estudante Alexandra de Paula Oliveira, da 3ª série do Ensino Médio, motivou-se a escrever o texto “Por uma peônia”, um dos trabalhos selecionados para compor a antologia “Parem as máquinas”, do Selo Off Flip, de Paraty (RJ). A jovem, ao lado de dois colegas e do gestor da unidade de ensino, são alguns dos amazonenses a emplacarem obras autorais na coletânea, que será lançada no mês de setembro.

O nome de Alexandra aparecerá como colaborador do livro com dois textos. O primeiro deles, citado acima, é a história de uma flor refletindo sobre seu destino. “Ele era, originalmente, uma história curta que escrevi como avaliação de Literatura. Foi durante a época de provas, olhei para os pássaros sobrevoando o pátio da escola e pensei em como eles tinham sorte de estar passando por aquilo. Isso me deu a fagulha inicial e, aos poucos, fui montando o resto do conto, que também foi inspirado pelas crônicas de Astrid Cabral”, afirmou a estudante.

Além de “Por uma peônia”, ela assina “Evolução”, uma espécie de comentário sobre como todas as grandes histórias já haviam sido escritas. “Então, decidi escrever um texto justamente sobre isso”, disparou. A vontade de participar das seleções do Selo Off Flip era algo que a jovem já nutria desde o ano passado, mas que teve de adiar por conta da idade. “Desde então, estive acompanhando o perfil [da Flip] e fiquei sabendo da antologia ‘Parem as máquinas’”, completou.

Junto à estudante, os jovens Alefh da Silva Gama e Eduardo Augusto Hungria Mota Vinhote, ambos da 3ª série do Ensino Médio do Colégio Amazonense Dom Pedro II, também tiveram seus textos selecionados pela editora. Alefh submeteu a crônica “Fases” à chamada pública, enquanto que Eduardo emplacou o conto “Chuva”. “Meu trabalho aborda uma série de momentos pelos quais o protagonista Raul passa. Essas etapas são acompanhadas de várias referências musicais, onde há encaixes perfeitos para cada situação. Logo, tudo pode ser resumido em uma única palavra: ‘fases’”, explicou a Alefh.

De acordo com ele, a inspiração para o texto veio do cantor e compositor Raul Seixas. Fã declarado do artista, o jovem quis homenageá-lo com a crônica. “Procurei mostrar que alguns versos de suas músicas formam uma história completa e única”, finalizou o estudante.

LEIA MAIS

Padrão
AMAZONAS, GERAL

Educação do Amazonas disponibiliza plataforma virtual para alunos da capital

A Plataforma Educação, ferramenta da Secretaria de Estado de Educação e Desporto para auxiliar alunos da rede pública, agora está disponível para os estudantes de Manaus. No início de maio, ela foi lançada para os discentes e docentes do interior do Amazonas. A plataforma faz parte do projeto “Aula em Casa”, foi desenvolvida pelo Centro de Mídias de Educação do Amazonas (Cemeam) e pode ser acessada pelo link: link https://bit.ly/3fwxS3J.

Com a liberação para os alunos da capital, todas as aulas e exercícios que já foram ao ar podem ser acessados e baixados pelos professores ou estudantes. Além disso, há a aba “Fórum”, na qual os docentes podem responder as perguntas diretamente aos alunos que as fizeram, o que torna o processo mais dinâmico.

A plataforma conta com o VLibras, ferramenta gratuita de acessibilidade que vai traduzindo o conteúdo de acordo com que o aluno vai clicando em cada uma das disciplinas, promovendo acessibilidade para leitura e incluindo, assim, alunos de baixa visão.

Para ter acesso, o estudante ou professor deve usar o número da matrícula do usuário, sem pontos ou traços. Os alunos que não souberem suas matrículas podem conferi-la no Portal Educacional da secretaria pelo endereço https://bit.ly/2YG903u. Somente os estudantes e professores cadastrados no Sistema Integrado de Gestão Educacional do Amazonas (Sigeam) terão acesso.

LEIA MAIS

Padrão
AMAZONAS, GERAL

Professores do Amazonas criam biblioteca escolar virtual para levar literatura às crianças

Já imaginou um projeto que leva obras literárias às crianças por meio do WhatsApp? Um grupo de professoras da rede estadual, sim. O objetivo do projeto Biblioteca Escolar Virtual é aproximar os alunos do 1º ao 5º ano de livros infantis e infanto-juvenis para desenvolver o interesse pela leitura, além dos livros didáticos. 

 As professoras atuam na área da Coordenadoria Distrital de Educação (CDE) 1, que envolve escolas das zonas sul e centro-sul de Manaus. A coordenadora adjunta do anos iniciais da CDE1, Sandra Regina Vieira, explica que as profissionais se preocuparam em levar leitura aos estudantes para incentivá-los neste período de pandemia e o aplicativo mensagens foi escolhido devido ao grande número de usuários e por ser mais fácil de os pais que não têm redes sociais acompanharem. Os conteúdos serão enviados nos grupos de pais e professores. 

 “Nós sabemos que quanto mais trabalharmos com a leitura, mais incentivamos, mais leitores teremos. Muitos desses alunos têm esse suporte apenas dentro da escola e quanto mais perto ficarmos, melhor será para eles mesmos. Os trabalhos serão divertidos, nada extenso, leituras curtas para prender mesmo e chamar a atenção deles”, diz Vieira. 

LEIA MAIS

Padrão
AMAZONAS, GERAL

Olimpíada de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) é adiada para setembro

A 16ª edição da Olimpíada de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) teve seu calendário alterado por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Agora, a primeira e segunda fases da disputa serão, respectivamente, nos dias 22 de setembro de 2020 e 27 de março de 2021. No Amazonas, são 1.542 escolas inscritas, de todos os municípios do estado, com mais de 485 mil alunos dos ensinos fundamental e médio.

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), o Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa), realizador da olimpíada com o apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM), definiu as novas datas das provas da competição. A prova da primeira fase, que seria neste mês, será em setembro. A alteração do calendário visa permitir que todas as escolas, professores e estudantes possam participar com segurança.

Com a mudança, a divulgação dos estudantes classificados para a segunda fase ocorrerá em quatro de novembro. Os locais de prova da segunda etapa serão definidos em 24 de fevereiro de 2021. O anúncio dos premiados acontecerá em 15 de junho do ano que vem.

O coordenador institucional da OBMEP na Secretaria de Educação e Desporto do Amazonas, Mailson Rafael Ferreira, diz que é por meio dela que jovens talentos da Matemática são descobertos e que a disputa serve, também, como motivação para os alunos que têm afinidade com a disciplina. Por isso, a secretaria segue incentivando os professores a fazerem estudos dirigidos à Olimpíada. 

LEIA MAIS

Padrão
AMAZONAS, GERAL

Comunidades do Amazonas recebem kits do programa ‘Merenda em Casa’

Comunidades e municípios do interior do Amazonas já começaram a receber os kits do programa “Merenda em Casa”. Depois de Iranduba, foi a vez dos estudantes das comunidades Querari e São Joaquim, localizadas em São Gabriel da Cachoeira (a 852 quilômetros de Manaus), receberem o benefício do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Educação e Desporto. Os kits foram entregues aos alunos na última terça-feira (19/05).

Além do benefício, a secretaria também enviou às comunidades máscaras, luvas e álcool em gel para auxiliar durante a entrega dos kits, em razão da pandemia do novo coronavírus. Durante a entrega, a pasta vem seguindo todas as recomendações dos órgãos de Saúde, priorizando o bem-estar de seus estudantes e colaboradores.

Em Querari, um total de 83 alunos dos ensinos Fundamental (1 e 2) e Médio, da Escola Estadual Nossa Senhora da Imaculada Conceição, foram beneficiados. Já na comunidade de São Joaquim, 69 estudantes dos ensinos Fundamental (2) e Médio, da Escola Estadual Indígena Duque de Caxias, receberam os kits do “Merenda em Casa”. Por se tratarem de áreas remotas e de difícil acesso, as cestas precisaram ser enviadas por transporte aéreo.

LEIA MAIS

Padrão
AMAZONAS, GERAL

Professor do Amazonas cria gincana on-line para motivar alunos durante a pandemia

“E se fizéssemos uma gincana de Geografia?”. A ideia veio do professor Dilson Nascimento, da Escola Estadual Ruy Araújo, e foi muito bem aceita pelos alunos da 2ª série do Ensino Médio, que vão responder às questões em uma competição on-line. A atividade iniciou na quarta (20/05) e segue até esta quinta-feira (21/05).

O professor explica que procurou tirar os alunos da monotonia. Cada turma da unidade de ensino tem uma sala do Google Sala de Aula e um grupo no WhatsApp, por onde são repassados os conteúdos e avaliações. As questões da gincana são enviadas por meio de formulário Google nos dois grupos. Dessa forma, todos conseguem participar, mesmo aqueles que não têm banda larga.

“A gincana foi uma forma que nós encontramos de motivar os alunos, porque, para participar, eles precisam estar no dois grupos. Eles já estão há muito tempo com o ‘Aula em Casa’, e essa gincana já tem dado resultado. Os estudantes estão chamando uns aos outros, mobilizando os colegas para assistir às aulas, marcar presença e responder os questionários. O retorno já está sendo bem legal”, avalia o docente.

LEIA MAIS

Padrão
AMAZONAS, GERAL

Roda de conversa promove debate sobre as causas e consequências do sequestro emocional

O sequestro emocional, que é quando a pessoa perde o controle sobre as próprias emoções, foi o tema da “Sala do Professor” desta quarta-feira (06/05). A doutora em Ciências da Educação e analista comportamental Cibele Monteiro e a médica psiquiatra Selma Haddad falaram sobre o tema, suas causas e consequências, durante a nova edição da roda de conversa da Secretaria de Estado de Educação e Desporto.

Monteiro diz que é importante trazer a discussão para os pais, alunos e corpo docente, porque a pandemia gera sensações de medo e pânico e as pessoas precisam ficar esclarecidas sobre o que pode estar ocorrendo. 

LEIA MAIS

Padrão